Na nutricionista: o retorno

Chego ao consultório da nutricionista. Ela abre a porta, me vê e…

– Olha só, de vez em quando ela aparece.
– Não é de vez em quando. É que eu não estava bem pra fazer dieta…
– Já ouvi isso antes.
– …e depois teve as festas de fim de ano…e fui para os EUA. E aí não dava para fazer dieta, né?
– Dava.
_ Dava?
– Sim. Ou você acha que lá só tem hambúrguer, batata frita e refrigerante?
– Não. Tem pizza também. E M&M’s de manteiga de amendoim.
– Que tal quando você for para os EUA provar coisas novas?
– Mas eu provei. Fireball. E Panquecas.
– Integrais?
– Congeladas. Com ingredientes que não sei pronunciar. Provavelmente cancerígenos. Com maple syrup davam um ótimo café da manhã.
– Foi isso que provou? Não pensou em nem um dia passar em uma Whole Foods buscar opções mais saudáveis?
– Provei outras coisas também. Fireball. Um uísque de canela. Canela é termogênico. Tem Fireball no Whole Foods?
– …
– …
– Eu já falei do Fireball? O uísque termogênico?

—————————–

– Quando você voltou ao Brasil?
– Dia 2.
– E durante todo o mês de janeiro…não voltou à dieta?
– Não. Estava me despedindo.
– Se despedindo de quem?
– Da comida.
– Por quê? Ela vai ser extinta?
– Não, mas…
– Eu não entendo vocês! Essa mania de se despedir de comida, como se você nunca mais fosse comê-la de novo ou vê-la! Daqui um mês tá comendo batata frita de novo!
– É porque a comida é como se fosse uma amiga muito querida.

(to be continued)